sábado, 21 de julho de 2012

Esta é a VERDADEIRA crise












2 comentários:

  1. Em Portugal e na Europa diz-se "mil milhões" que é igual a "um bilião" na América e no Brasil.
    Portanto, a Espanha vai receber 30 mil milhões de Euros e não 30 biliões de Euros.
    Portanto, 30 mil milhões de Euros a dividir por 46.063.511 dá muito menos de 1000 € "Euros" a cada Espanhol.
    Portanto, as contas do bloco mais acima estão erradas.

    ResponderEliminar
  2. Mil milhões ou biliões? Veja a diferença...

    COMO DIZER / LER OS NÚMEROS:

    (um) 1 = > Nº de ZEROS = 0
    (mil) 1 000 => Nº de ZEROS = 3
    (um milhão) 1 000 000 => Nº de ZEROS = 6
    (mil milhões) 1 000 000 000 = Nº de ZEROS = 9
    (um bilião) 1 000 000 000 000 => Nº DE ZEROS = 12

    E quando o Jornal Negócios publicou a notícia "Fundos para activos tóxicos podem chegar a dois biliões de dólares nos EUA", diziam, eram triliões, não biliões! Bastava ler nos jornais americanos que o plano envolvia "up to two trillion"... TAMBÉM HOUVE CONFUSÃO :)

    Caro leitor, não há erro: Tanto as notícias americanas (trillion) como (bilião) estão correctas. É que há duas escalas para números grandes, a chamada escala longa utilizada na maioria dos países europeus; e a curta, usada em países de língua inglesa, incluindo os Estados Unidos, mas também o Brasil.
    Segundo o sítio Ciberdúvidas, "a regra de que um bilião é um milhão de milhões para Portugal foi estabelecida pela norma portuguesa NP-18, 1960. É também esta a prática em Espanha, Itália, França, Inglaterra, Alemanha, etc." O mesmo sítio esclarece que "só até ao milhão é que a terminologia é a mesma na Europa e nos EUA".

    O problema coloca-se sobretudo no mundo financeiro, em que a linguagem (e também a métrica) anglosaxónica é muito usada.

    Já agora, há outra diferença: No nosso sistema de numeração, separamos os milhares por espaços, quando nos Estados Unidos é por vírgulas. Cá, a vírgula só serve para separar os números inteiros dos números decimais. Exemplo: "a empresa X facturou 1 200 milhões, uma subida de 12,5%".

    Números são números, palavras são... palavras.

    ResponderEliminar