sexta-feira, 8 de junho de 2012

O MEDO CAUSADO PELA INTELIGÊNCIA

Quando Winston Churchill, ainda um jovem, acabou de pronunciar o seu 1.º discurso, na Câmara dos Comuns, foi perguntar a um velho parlamentar, amigo do seu pai, o que tinha achado do seu desempenho naquela assembleia de vedetas políticas.
O amigo do pai pôs a mão no ombro de Churchill e disse-lhe em tom paternal:
“ Jovem, cometeste um grande erro. Foste demasiado brilhante neste teu primeiro discurso. E, isso é imperdoável ! Devias ter começado mais na sombra. Devias ter gaguejado um pouco. Com a inteligência que demonstrras-te hoje, deves ter ganho, no mínimo, uns trinta inimigos. O talento assusta ".
Aqui está uma das melhores lições que um “velho”sábio pode dar ao pupilo que se inicia numa carreira.
Isto, foi em Inglaterra. Imaginem aqui, em Portugal.
Vale a pena lembrar uma frase:
“Há tantos burros a mandar em homens inteligentes que, às vezes, penso que a burrice é uma Ciência”.
A maior parte das pessoas encasteladas em posições políticas é medíocre e tem um indisfarçável medo da inteligência.
Tenho de admitir, por outro lado, que, de um modo geral, os medíocres são mais obstinados na conquista de posições importantes. Sabem ocupar os espaços vazios deixados pelos talentosos "displicentes" que não revelam normalmente o apetite pelo poder. Mas, há que ter em consideração que esses medíocres, oportunistas e ambiciosos, têm o hábito de defender bem as posições conquistadas – como que com verdadeiras muralhas de granito por onde os talentosos e inteligentes não conseguem passar.
Em todas as áreas encontramos d’essas fortalezas inexpugnáveis a quaisquer legiões de lúcidos.
Dentro deste raciocínio, que poderia ser uma extensão do "Elogio da Loucura", de Erasmo de Roterdão, sou forçado a admitir que uma pessoa precisa de fingir que é burra se quer vencer na vida.
É "pecado" fazer sombra a alguém, até mesmo numa conversa social.
Assim como um grupo de senhoras burguesas, “bem”casadas, boicota, automaticamente, a entrada de uma mulher bonita no seu círculo (com medo de perderem os maridos), também os encastelados medíocres se fecham como ostras à simples aparição de um talentoso jovem que os possa ameaçar.
Eles conhecem bem as suas limitações, sabem como lhes custa desempenhar tarefas que os mais dotados realizam “com uma perna às costas”...
Enfim, na medida em que admiram a facilidade com que os mais lúcidos resolvem problemas, os medíocres repudiam-nos para se defenderem; acreditem !
É um paradoxo angustiante !
Infelizmente, temos de viver com estas regras absurdas que transformam a inteligência numa espécie de desvantagem perante a vida.
Como é sábio o velho conselho:
"Finge-te de idiota, e terás o céu e a terra".
O problema é que os inteligentes brilham mesmo não sendo o seu desejo.
Mas como são os mediocres a decidir, que o Divino os ajude ou… os destrua.

O Planeta e o povo não aguentam mais !!!

O CLUB BILDERBERG e A SUA ACTUAÇÃO


Sei que não estão a visualizar; MAS CONSEGUEM VER EM:
Apelo de Cientista Alemão. PARA REFLECTIR.

Sei que não estão a visualizar; MAS CONSEGUEM VER EM:

3 comentários:

  1. Cada dia esta política é mais clara e eles fazem tudo para se mascararem e esconderem. Poucas vezes recuam e quando isso acontece apenas faz parte da própria estratégia.

    ResponderEliminar
  2. Caro Amigo Zé,

    Cuidado com os invejosos, este seu post é demasiado brilhante para suscitar a ira de todos os que falam de pieguice, de tolerantes etc.

    Já conhecia o conselho dado a Churchill, temos políticos que o devem conhecer e levado a sério: veja que Cavaco sempre que fala não vai além de banalidades, para não revelar a inteligência que certamente tem. Também Vítor Gaspar quando cicia os segredos da situação de Portugal e «garante que... e «assegura que...» deve estar a evitar mostrar a sua inteligência, mas não precisa de fazer tanto esforço, porque ele próprio, pouco tempo depois, mostra-se surpreendido com os resultados das suas medidas. No entanto nos nossos políticos deve haver muita inteligência oculta mas só espeleólogos ou mergulhadores a descobrirão. E precisarão de microscópio.

    Aliás é da opinião geral que a ida para a política é uma escapatória dos maus alunos sem perspectivas de viverem na concorrência da vida privada. Mais tarde, com a troca de favores, conseguem diplomas universitários depois dos 30 anos...

    Abraço
    João

    ResponderEliminar
  3. “Há tantos burros a mandar em homens inteligentes que, às vezes, penso que a burrice é uma Ciência”

    António Aleixo.

    Um texto fantástico.

    ResponderEliminar