quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Competência e credibilidade

O momento que estamos a atravessar exige a todos os cidadãos conscientes, às instituições públicas e privadas desde partidos a empresas, que estejam atentos ao que ocorre para lá da nossa janela, mais do que ao que se encontra em casa. Deve estar-se virado para fora, não para dentro, analisando a situação actual com especial atenção a pequenos sinais de alarme e tendo como finalidade atitudes e comportamentos tendentes a contribuir com a quota parte de cidadão para um futuro melhor.

No seu artigo Prioridades, Luís Marques Mendes mostra discordância do facto de «ao próximo Congresso do PSD ir chegar uma proposta de alteração dos estatutos no sentido de consagrar, designadamente, o princípio das eleições primárias para a escolha de candidatos a deputados e a presidentes de câmara.»

Diz que, «em política, os sinais contam. E o grande sinal que o partido deve dar, nesta fase crucial da nossa história, é o de que está focado essencialmente no desafio do País e nos problemas dos Portugueses.» Mostra-se descrente de «que os Portugueses achem muita graça a ver o PSD discutir estatutos em vez de debater o drama do desemprego e as soluções para o resgatar.»

E conclui dizendo que «a nossa democracia precisa… do reforço da competência e da credibilidade dos eleitos e não da cultura do populismo ou da lógica da facilidade. É tudo uma questão de prioridades.»

Acrescento que quem aprecia futebol não gostaria de, num momento muito crítico de um desafio importante, ver o Cristiano Ronaldo a olhar para as botas a pensar que gostaria mais de ter atacadores de outra cor e não reparasse que tinha que aproveitar a oportunidade para meter um golo que poderia ser decisivo.

Dê-se prioridade ao essencial para o futuro de Portugal.

Imagem de arquivo

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

NÃO AOS BILDERBGS


SÓ PARA REAVIVAR MEMÓRIAS






NÃO AOS BIDERBERGS


POR FAVOR VÊ:

 
http://jose-pires-um-ser-livre.blogspot.pt/2012/09/guerra-mundial-financeira.html

                                                                                                               Simplesmente

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Isto é SÓ para relembrar os DESgovernantes que temos !!!

BPN - A MAIOR BURLA DE SEMPRE EM PORTUGAL

De Carlos Tomás e Ana Paula Barbosa Ramos no grupo NOTÍCIAS SEM CENSURA

Num País de anedotas mais uma que até poderia parecer; mas é autêntico:

Dia 11 de abril do ano passado, um homem armado assaltou a dependência do Banco Português de Negócios, ou simplesmente BPN, na Portela de Sintra, arredores de Lisboa e levou 22 mil euros. Trata-se de um assalto histórico: foi a primeira vez que o BPN foi assaltado por alguém que não fazia parte da administração do banco. O BPN tem feito correr rios de tinta e ainda mais rios de dinheiro dos contribuintes. Foi a maior burla de sempre em Portugal, qualquer coisa como 9.710.539.940,09 euros. Com esses nove biliões e setecentos e dez milhões de euros, li algures, podiam-se comprar 48 aviões Airbus A380 (o maior avião comercial do mundo), 16 plantéis de futebol iguais ao do Real Madrid, construir 7 TGV de Lisboa a Gaia, 5 pontes sobre o Tejo ou distribuir 971 euros por cada um dos 10 milhões de portugueses residentes no território nacional (os 5 milhões que vivem no estrangeiro não seriam contemplados). João Marcelino, diretor do Diário de Notícias, de Lisboa, considera que “é o maior escândalo financeiro da história de Portugal. Nunca antes houve um roubo desta dimensão, “tapado” por uma nacionalização que já custou 2.400 milhões de euros delapidados algures entre gestores de fortunas privadas em Gibraltar, empresas do Brasil, offshores de Porto Rico, um oportuno banco de Cabo Verde e a voracidade de uma parte da classe política portuguesa que se aproveitou desta vergonha criada por figuras importantes daquilo que foi o cavaquismo na sua fase executiva”. O diretor do DN conclui afirmando que este escândalo “é o exemplo máximo da promiscuidade dos decisores políticos e económicos portugueses nos últimos 20 anos e o emblema maior deste terceiro auxílio financeiro internacional em 35 anos de democracia. Justifica plenamente a pergunta que muitos portugueses fazem: se isto é assim à vista de todos, o que não irá por aí?” O BPN foi criado em 1993 com a fusão das sociedades financeiras Soserfin e Norcrédito e era pertença da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), que compreendia um universo de empresas transparentes e respeitando todos os requisitos legais, e mais de 90 nebulosas sociedades offshores sediadas em distantes paraísos fiscais como o BPN Cayman, que possibilitava fuga aos impostos e negociatas. O BPN tornou-se conhecido como banco do PSD, proporcionando tachos para ex-ministros e secretários de Estado sociais-democratas. O homem forte do banco era José de Oliveira e Costa, que Cavaco Silva foi buscar em 1985 ao Banco de Portugal para ser secretário de Estado dos Assuntos Fiscais e assumiu a presidência do BPN em 1998, depois de uma passagem pelo Banco Europeu de Investimentos e pelo Finibanco. O braço direito de Oliveira e Costa era Manuel Dias Loureiro, ministro dos Assuntos Parlamentares e Administração Interna nos dois últimos governos de Cavaco Silva e que deve ser mesmo bom (até para fazer falcatruas é preciso talento), entrou na política em 1992 com quarenta contos e agora tem mais de 400 milhões de euros. Vêm depois os nomes de Daniel Sanches, outro ex-ministro da Administração Interna (no tempo de Santana Lopes) e que foi para o BPN pela mão de Dias Loureiro; de Rui Machete, presidente do Congresso do PSD e dos ex-ministros Amílcar Theias e Arlindo Carvalho. Apesar desta constelação de bem pagos gestores, o BPN faliu. Em 2008, quando as coisas já cheiravam a esturro, Oliveira e Costa deixou a presidência alegando motivos de saúde, foi substituído por Miguel Cadilhe, ministro das Finanças do XI Governo de Cavaco Silva e que denunciou os crimes financeiros cometidos pelas gestões anteriores. O resto da história é mais ou menos conhecido e terminou com o colapso do BPN, sua posterior nacionalização e descoberta de um prejuízo de 1,8 mil milhões de euros, que os contribuintes tiveram que suportar. Que aconteceu ao dinheiro do BPN? Foi aplicado em bons e em maus negócios, multiplicou-se em muitas operações “suspeitas” que geraram lucros e que Oliveira e Costa dividiu generosamente pelos seus homens de confiança em prémios, ordenados, comissões e empréstimos bancários. Ainda não se sabe o que levou o governo PS de José Sócrates a salvar um banco que era uma coutada do rival PSD. Não seria o primeiro nem o último banco a falir, mas Sócrates decidiu intervir e o BPN passou a fazer parte da Caixa Geral de Depósitos, um banco estatal liderado por Faria de Oliveira, outro ex-ministro de Cavaco e membro da comissão de honra da sua recandidatura presidencial, lado a lado com Norberto Rosa, ex-secretário de estado de Cavaco e também hoje na CGD. Outro social-democrata com ligações ao banco é Duarte Lima, ex-líder parlamentar do PSD, que está a ser investigado pela polícia brasileira pelo assassinato de Rosalina Ribeiro, companheira e herdeira do milionário Tomé Feteira e que, em 2001, comprou a EMKA, uma das offshores do banco por três milhões de euros, tornando-se também acionista do BPN. Em 31 de julho, o ministério das Finanças anunciou a venda do BPN, por 40 milhões de euros, ao BIC, banco angolano de Isabel dos Santos, filha do presidente José Eduardo dos Santos e de Américo Amorim, que tinha sido o primeiro grande acionista do BPN.O BIC é dirigido por Mira Amaral, que foi ministro nos três governos liderados por Cavaco Silva e é o mais famoso pensionista de Portugal devido à reforma de 18.156 euros por mês que recebe desde 2004, aos 56 anos, apenas por 18 meses como administrador da CGD.O Estado português queria inicialmente 180 milhões de euros pelo BPN, mas o BIC acaba por pagar 40 milhões (menos que a cláusula de rescisão de qualquer craque da bola) e os contribuintes portugueses vão meter ainda mais 550 milhões de euros no banco, além dos 2,4 mil milhões que já lá foram enterrados. O governo suportará também os encargos dos despedimentos de mais de metade dos atuais 1.580 trabalhadores (20 milhões de euros). As relações de Cavaco com antigos dirigentes do BPN foram muito criticadas pelos seus oponentes durante a campanha das eleições presidenciais de janeiro último.
Cavaco Silva defendeu-se dizendo que apenas tinha sido primeiro-ministro de um governo de que faziam parte alguns dos trafulhas. Mas os responsáveis pela maior fraude de sempre em Portugal não foram apenas colaboradores políticos do presidente, tiveram também negócios com ele. Cavaco também beneficiou da especulativa e usurária burla que levou o BPN à falência.
Em 2001, ele e a filha compraram (a um euro por ação, preço feito por Oliveira e Costa) 255.018 ações da SLN, o grupo detentor do BPN e, em 2003, venderam as ações com um lucro de 140%, mais de 350 mil euros. Por outro lado, Cavaco Silva possui uma casa de férias na Aldeia da Coelha, Albufeira, onde é vizinho de Oliveira e Costa e alguns dos administradores que afundaram o BPN. O valor patrimonial da vivenda é de apenas 199. 469,69 euros e resultou de uma permuta efetuada em 1999 com uma empresa de construção civil de Fernando Fantasia, acionista do BPN e também seu vizinho no aldeamento. Para alguns portugueses são muitas coincidências e alguns mais divertidos consideram que Oliveira e Costa deve ser mesmo bom economista: num ano fez as ações de Cavaco e da filha quase triplicarem de valor e, como tal, poderá ser o ministro das Finanças certo para salvar Portugal na atual crise económica. Quem sabe, talvez Oliveira e Costa ainda venha a ser condecorado em vez de ir parar à prisão. O julgamento do caso BPN já começou, mas os jornais nem sequer têm falado nisso. Há 15 arguidos, acusados dos crimes de burla qualificada, falsificação de documentos e fraude fiscal, mas nem sequer se sentam no banco dos réus. Os acusados pediram dispensa de estarem presentes em tribunal e o Ministério Público deferiu os pedidos. Se tivessem roubado 900 euros, o mais certo era estarem atrás das grades, deram descaminho a nove biliões e é um problema político. Nos EUA, Bernard Madoff, autor de uma fraude de 65 biliões de dólares, já está a cumprir 150 anos de prisão, mas os 15 responsáveis pela falência do BPN estão a ser julgados por juízes amigos, vão apanhar talvez pena suspensa e ficam com o produto do roubo, já que puseram todos os bens em nome dos filhos e netos ou pertencentes a empresas sediadas em paraísos fiscais. Oliveira e Costa colocou as suas propriedades e contas bancárias em nome da mulher, de quem se divorciou entretanto após 42 anos de casamento. Se estivéssemos nos EUA, provavelmente a senhora teria de devolver o dinheiro que o marido ganhou em operações ilegais, mas no Portugal dos brandos costumes talvez não aconteça. Dias Loureiro também não tem bens em seu nome. Tem uma fortuna de 400 milhões de euros e o valor máximo das suas contas bancárias são apenas cinco mil euros. Não há dúvida que os protagonistas da fraude do BPN tinham-na fisgado, preveniram eventuais consequências e seguiram a regra de Brecht: “Melhor do que roubar um banco é fundar um.

Isto é SÓ para relembrar os DESgovernantes que temos !!!


video

E... assim estamos passados 140 anos...



João Black (Feijó, 28 de Setembro de 1872; Lisboa, 18 de Dezembro de 1955) foi um dos fadistas mais comprometidos ideologicamente com valores do anarquismo, socialismo e republicanismo.

João Salustiano Monteiro tornou-se João Black por homenagem ao seu protector, o inglês Alexander Black, patrão do pai radicado em Almada que lhe pa-gou os estudos. Black foi o que se poderia chamar de fadista de intervenção: as suas letras versavam sempre propósitos ideológicos da República. Andar nos jornais deu-lhe essa consciência.

Ciência humanitária
Um símbolo de altruísmo
Tem como fim condenar
Deus, pátria e militarismo


O mundo há-de assitir
Aos pobres livres do jugo
Espezinhar é o futuro
Da burguesia a surgir


E depois quando existir,
O ideal...
Esplendor e bem-estar
Incitar o patriotismo


A miséria, o anarquismo tem por base condenar
Mas o povo subjugado
Esfacela-se sob a tortura
Quando o seu mal tinha cura


O ideal desejado
Viver na prisão
Nas garras dos inimigos
Ai ela bem cai no abismo


A fanática humanidade
Pois fia-se nesta trindade
Deus, pátria e militarismo
E… Agora mais difícil com ESTA DESHUMANIDADE ;'(

Retirado ( em parte ) de: TODOS TEMOS O NOSSO FADO

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Ajustamentos são indispensáveis

Na gestão da vida diária não devemos esquecer conhecimentos que todos sabemos e aceitamos mas que, por vezes, mesmo em situações críticas e essenciais, desprezamos.

Quando iniciamos uma viagem, temos por finalidade chegar ao destino em boas condições e com os menores custos (de todos os géneros), estudando os itinerários possíveis, escolhendo o melhor e depois conduzindo o veículo de forma permanentemente controlada, com pequenos toques no volante, uso da caixa de velocidades, do acelerador, do travão e da embraiagem, contornando as dificuldades. Em caso de obstáculo não contornável, há que recorrer a itinerário alternativo, sempre com a preocupação de não perder de vista a FINALIDADE pretendida.

Vem isto a propósito da notícia Troika diz que a execução do memorando “vai no bom caminho”, porque surgem dúvidas sobre qual o objectivo que se pretende atingir com esse «bom caminho» ou se ele foi escolhido por tecnocratas com olhos postos apenas nas contas do deve/haver, ou se se dignaram pensar que governar é procurar as melhores condições de vida para as pessoas no momento presente e no futuro.

E tais dúvidas são pertinentes porque o veículo está sendo avisado por sensores credíveis (este 1º e este 2º) de que há necessidade de correcções do rumo. A conduta é essencial tendo em conta as realidades de cada momento e não pode ficar presa obsessivamente à decisão inicial, «custe o que custar». As curvas da estrada devem ser geridas de forma correcta para não haver despistes e, se num cruzamento, se saiu pelo lado errado não deve ser adiado o recuo para voltar e adoptar o melhor sentido para enfrentar o objectivo pretendido. A única coisa que não pode ser alterada é o OBJECTIVO, partindo da hipótese de que foi bem estabelecido e definido, para a consecução da FINALIDADE.

Imagem de arquivo

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

uma ideia a ser considerada



Esta é uma ideia que realmente deve ser
considerada e revista por todos os cidadãos

Na Alteração da Constituição de Portugal para 2012 deve atender o seguinte, que é da mais elementar justiça:

 SETE Pontos ( SÓ 7 ) a considerar nos
Estatutos de TODOS os Deputados

 1. O deputado será pago apenas durante o seu mandato e não terá reforma proveniente exclusivamente do seu mandato.
 
  2. O deputado vai contribuir para a Segurança Social de maneira igual aos restantes cidadãos.
        Todos os deputados (passado, presente e futuro) passarão para o actual sistema de Segurança Social imediatamente.
        O deputado irá participar nos benefícios do regime da Segurança Social, exactamente como todos os outros cidadãos. 
        O fundo de pensões não pode ser usado para qualquer outra finalidade.

   3. O deputado deve pagar seu plano de reforma, como todos os portugueses e da mesma maneira.

  4. O deputado deixará de votar o seu próprio aumento salarial.

  5. O deputado vai deixar o seu seguro de saúde actual e vai participar no mesmo sistema de saúde como todos os outros cidadãos portugueses.

  6. O deputado deve estar sujeito às mesmas leis que o resto dos portugueses.

  7. Servir no Parlamento é uma honra, não uma carreira.
        Os deputados devem cumprir os seus mandatos (não mais de 2 mandatos), e então irem para casa e procurar outro emprego.

   O tempo para esta alteração à Constituição
 é AGORA ou NUNCA.
  
Forcemos os nossos políticos a terem em conta estes 7 pontos ao fazerem a revisão constitucional.

E... ASSIM CORRIGIR ESTE ABUSO INSUPORTÁVEL DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA.

A ideia é óptima, contudo não veremos NENHUM

deputado a propor tal e depois votar a favor.  



CAVAQUISMO um drama




segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

DESeducação...

Às vezes penso que exijo demais de mim. Mas é a minha maneira de ser, além disso, preocupo-me muito com a Educação e gerações vindouras resolvi elencar uns “Quando” para que a Educação ainda seja possível.

- Quando acordamos logo de manhã com vontade de trabalhar, por ser útil aos alunos e não quando nos levantamos mal humorados e dizemos: ”Meu Deus vou ter que aturar estes indivíduos mais uma vez…”.
- Quando no início do ano concordamos em participar nos projetos feitos pela Escola, e não quando os esquecemos e trabalhamos com as rotinas de sempre, esquecendo o compromisso com a mesma, fazendo simples folclores para parecer que…
- Quando participamos em cursos e discutimos as nossas angústias e troca de experiências, e não quando vamos só para receber “receitas prontas” ( Manuais e Outros Materiais ) para trabalhar na sala de aula e não termos de trabalhar, nem criar…
- Quando avaliamos os nossos alunos pelas metas alcançadas e o acompanhamento diário, e não somamos as médias das fichas e trabalhos e atribuímos uma nota em função disso mesmo ou das estatísticas que os “senhores” do Ministério exigem…
- Quando procuramos estar actualizados procurando vários recursos e criando em função dos alunos que temos pela frente, e não quando pensamos que já sabemos tudo e continuamos a debitar o que dizem/trazem os manuais…
- Quando elaboramos os nossos próprios projetos e, não quando nos fazem engolir projetos que já passaram à história e para pouco ou NADA servem…
- Quando as TVs nos dão a atenção merecida, e não quando fazemos protestos para a melhoria na Educação ou aqui e ali falam do descalabre da deseducação de pais/alunos…
- Quando os pais nos dão suporte para as atividades em casa e questionam seus filhos sobre as aulas, e não quando acham que o professor nada faz e o menino/a é um/a santo/a...
- Quando os governantes cumprem suas promessas e dão prioridade à Educação, e não ficam só pelas promessas; normalmente em anos de eleições… ou antes de estarem lá.
- Quando a sociedade como um todo considerar a Educação como ponto fundamental para o crescimento do País e, não quando nos criticam e nada sabem do que realmente se passa...

Penso muitas vezes que ando com os pés nas nuvens e de cabeça para baixo, mesmo assim continuo a sonhar com uma Escola para todos os que REALMENTE estão interessados e não porque temos de estar, estatisticamente, ao nível de outros Países. Sonho com alunos comprometidos e claro com os professores também. Não, não me julgo perfeito, longe disso, até porque acho hipócritas aqueles que julgam ser… ( estamos SEMPRE a aprender )
A nossa mente necessita de sabedoria, assim como os nossos VERDADEIROS alunos necessitam do saber científico para desenvolver as suas actividades/anseios… e não de “uma coisa” que está ali e que em nada os motiva...
A Escola devia ser uma fonte onde o aluno sentisse necessidade de beber e não um local onde os pais os depositam para irem trabalhar ou para receberem os subsídios daí inerentes…

Muitooooooooooooooooooooo fica por dizer… mas vocês sabem…

Nos últimos anos, travou-se uma luta muito dura entre os professores do ensino público português e o governo. Dois focos principais dessa luta: foram o Estatuto da Carreira Docente e o Método de Avaliação dos Professores. Para estes, tratou-se de uma estratégia governamental de destruição do serviço público de educação. Houve importantes manifestações locais, regionais e nacionais - esta atingindo 140.000 manifestantes, mais de dois terços do total de professores.

É sempre instrutivo quando a boca dos ex-governantes lhes fugiu para a verdade, isto é, quando lhes aconteceu dizerem em público o que realmente pensavam…

“Admito que perdi os professores, mas ganhei a opinião pública.” Maria de Lurdes Rodrigues, ministra da Educação, em Junho de 2006.

“Vocês [deputados do PS] estão a dar ouvidos a esses professorzecos.” Valter Lemos, secretário de Estado do ME, na Assembleia da República, em 24 de Janeiro de 2008.

“Caso haja grande número de professores a abandonar o ensino, sempre se poderiam recrutar novos no Brasil.” Jorge Pedreira, secretário de Estado do ME, em Novembro de 2008.

“Quando se dá uma bolacha a um rato, ele a seguir quer um copo de leite!” idem, no Auditório da Estalagem do Sado, em 16 de Novembro de 2008.

”[Os professores são] arruaceiros, covardes, são como o esparguete (depois de esticados, partem), só são valentes quando estão em grupo!” Margarida Moreira, directora-geral da Educação no Norte, em Viana do Castelo, em 28 de Novembro de 2008.

E… QUANDO 140.000 professores se juntaram em Lisboa, contra o que se está a passar no ensino e os seus representantes sindicais ASSINAM um “Memorando de Entendimento” passados 8 dias, a situação REALMENTE ainda se tornou mais difícil.

Os professores ficaram à mercê de TUDO e MAIS alguma coisa… [ Agora luta-se entre os pares para ver quem VAI SER O EXCELENTE mas… entre nós : ‘ ( ]

Foi assim que nos deixaram e assim é a política…

ESTES SÓ CONTINUAM...


Agora... o que vale a pena SÃO OS VERDADEIROS ALUNOS / PROFESSORES !!!



Já agora vejam e ouçam como tem de se vir a fazer num futuro próximo :


domingo, 19 de fevereiro de 2012

Assunção Esteves e a sua Reforma...


Alguém percebe ? ! ...


Ela é loira, (eu não tenho NADA contra a loiras) mas de burra não tem nada ...

Maria da Assunção Andrade Esteves, a actual Presidente da Assembleia da República reformou-se ao 42 anos, com a pensão mensal (14 vezes ano) de € 2.315,51.
Ou seja, recebe do erário público, a remuneração média mensal de € 12.232,07 (Doze mil, duzentos e trinta e dois euros, sete cêntimos).




Aufere, portanto, a quantia anual de  146.784,82 €       SÓ DE REFORMA !!!

Relembro que também tem direito a uma viatura oficial de BMW a tempo inteiro, cujo penúltimo "estoirou" num acidente em que atropelou gravemente um pião (idosa) numa passadeira, que foi parar aos Cuidados Intensivos do Hospital de Faro.

É caso para dizer: "que rica presidenta"!

Se ela continua a trabalhar, está a receber reforma por quê ?!


Sempre a pedirem-nos sacrifícios e " Eles " e " Elas " a receberem reformas, salários, subvenções vitalícias. Como é que isto algum dia irá para a frente, se todos ELES quando fazem as leis é para zelarem pelos seus próprios interesses ?
Se o cidadão normal tem de trabalhar 40 anos (ou mais) e só tem direito a uma pequena reforma, porque é que eles ao fim de oito anos de serviço já têm direito a reformas gordas ?
É aqui que o governo tem de começar a cortar as gorduras...mas corta é nos nossos subsídios e eles continuam a fazer as suas vidinhas de nababos.

E vem estes IDIOTAS dos DESgovernantes sacar subsídios e pedir sacrifícios aos funcionários públicos e pensionistas !!!

A minha mãe com 78 anos e a trabalhar desde os 12 anos recebe 246,87 €


Os DESgovernantes são uns BANDALHOS !


Fica o Diário da República II Série de 30/07/1998 folha 10585 do aviso Nº12 157/98 (2ª série) para que NÃO TENHAM DÚVIDAS.







Só o amor…

BASTA…


Quando se AMA VERDADEIRAMENTE

 =>

EXISTE ENTREAJUDA .

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

AI PORTUGAL...

pOrTuGaL


"Formado" em 1093 D.C.
Independência em 1139 D.C
Reconhecida em1143 D.C
Área Total = 92 090 km²
Habitantes = 10 561 614 (Censos de 2011)

E nas últimas 3 décadas destruído.


VEJA PARA ONDE VÃO OS SEUS IMPOSTOS

Governo pOrTuGuÊs

   DESGOVERNOS (no continente e ilhas)
3    Presidentes :’) + Assessores, Adjuntos , Coadjutos, e chefes de casas civis e não civicis etc.. ( LEIA-SE BOYS )
   Primeiro Ministro (Pedro Passos Coelho) + Assessores, Adjuntos , Coadjutos, etc.. ( LEIA-SE BOYS )
1    Presidente da Assembleia da República (Assunção Esteves) + Assessores, Adjuntos , Coadjutos, etc.. ( LEIA-SE BOYS )
14    Ministérios/Secretarias de Estado
         Ministério das Finanças
            Ministério dos Negócios Estrangeiros
            Ministério da Defesa Nacional
            Ministério da Administração Interna
            Ministério da Justiça
            Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares
            Ministério da Economia e do Emprego
            Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente, e do Ordenamento do Território
            Ministério da Saúde
            Ministério da Educação e Ciência
            Ministério da Solidariedade e Segurança Social
            Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros
            Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro
            Secretário de Estado da Cultura
333    Deputados no continente e ilhas
308    Câmaras
4 259    Freguesias
1 770    Vereadores
30 000    Carros
40 000    Fundações e associações (?!!)
500    Assessores em Belém ( para além dos outros anteriores )
1 284    Serviços e institutos públicos

E oS zÉz pOvInHo PaGa PaRa
EsTa PoDrIdÃo De GaTuNaGeM
???

Desemprego é bomba armadilhada

Não podemos ficar indiferentes à notícia que informa que em Portugal Há 885 novos desempregados por dia, pois isso é um indício de situação explosiva de elevada gravidade, é uma bomba armadilhada de resultados imprevisíveis. Transcreve-se um pouco da notícia mas sugere-se a leitura atenta da totalidade, fazendo clic no seu título.

«A troika em Setembro passado avançava com perspectivas pessimistas: Portugal atingirá uma taxa de desemprego oficial de 13,5% ao longo de 2013, valor que seria o pico deste flagelo no país. O governo, na mesma altura, dizia que não. Vítor Gaspar não admitia um cenário tão grave, antecipando “só” um pico no desemprego de 13,3% e ao longo deste ano, depois tudo melhoraria ao longo do ano seguinte. Ambos estavam completamente enganados.

No final de 2011, o desemprego oficial bateu os recordes e chegou a 14%, fruto de um salto trimestral nunca antes visto: mais 1,6 pontos. E a tendência, como se antecipa nas previsões do governo e da troika, é piorar.

Mas mais do que números, falemos de pessoas. O que quer dizer um salto de 1,6 pontos percentuais no desemprego entre Outubro e Dezembro de 2011?

Este valor significa que em três meses mais de 81 mil residentes em Portugal ficaram sem emprego, qualquer coisa como 885 pessoas por dia em todos os 92 dias de Outubro a Dezembro, úteis ou não. No final de Dezembro, segundo dados divulgados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) havia 771 mil desempregados em Portugal. Em Outubro eram 689,6 mil.

Enquanto isso, a Alemanha bateu o recorde de pessoas empregadas desde a reunificação do país, com 41,6 milhões de trabalhadores em finais de 2011, mais 560 mil. Dados também ontem divulgados.»


NOTA: Além dos graves problemas sociais e de segurança interna, é preciso ver também a dinâmica do desenvolvimento. Para haver desenvolvimento tem que ser estimulado o empreendedorismo, a inovação, a criatividade e o trabalho orientado para produção que substitua importações e que aumente as exportações em sectores voltados para o futuro mais previsível.
Isto suscita algumas interrogações:
Que estímulos estão a ser dados ou vão ser implementados pelo Governo, para reactivar o emprego?
Como tem sido desenvolvido o diálogo com empresários (grandes, médios e pequenos), com jovens licenciados e potenciais empregadores?
Que conferências estão previstas para fomentar a inovação, a criatividade, ajustadas às realidades actuais e previsíveis?

É imperioso que os governantes, demais políticos e técnicos especializados se debrucem seriamente sobre este importantíssimo tema e em todos os factores que o podem influenciar.

Imagem do Ionline

domingo, 12 de fevereiro de 2012

UE precisa de competência e coragem política

George Soros, o investidor milionário americano, que se tem pronunciado sobre a crise europeia alertou para que a UE arrisca-se à destruição pela falta de crescimento económico e pelas tensões políticas.

Segundo ele, "agora, a UE, e em particular os países muito endividados, enfrentam uma década perdida. Pode até ser mais do que uma década, porque o Japão, que teve uma situação semelhante, com o fim da bolha imobiliária e uma crise bancária, tem, até agora, 25 anos sem crescimento".

Manifestou-se também pessimista quanto à receita de austeridade, com despedimentos na função pública e a redução de salários e de pensões. E, nisto, vai dar razão a António Seguro que acusa Passos Coelho de «paixão e obsessão» pela austeridade.

Soros diz que admira a chanceler Merkel pela sua capacidade de liderança. Mas, infelizmente, ela está a conduzir a Europa na direcção errada.

Com esta opinião, Soros vem tornar verosímil as palavras de Eduardo Catroga que admite necessidade de reajustamento do programa de auxílio a Portugal e que sugere que a Primavera é o momento oportuno para fazer essa reavaliação dos pressupostos em que assenta o acordo com a Troika.

Mas, ao contrário de Soros e de Catroga e para aumentar as preocupações de Seguro, Vítor Gaspar não vai pedir nem mais tempo nem dinheiro à Troika. No entanto pode haver aqui um jogo de linguagem, pois Catroga prevê que tal reajustamento parta da iniciativa da Troika. Será?

Seja o que for, parece que tanto George Soros como António Seguro devem ser tidos em consideração porque, na preparação de decisão tão grave pelas suas consequências, nenhuma hipótese deve ser deixada de lado, como indica a metodologia de preparação da decisão aqui várias vezes referida.

Imagem do Google

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Gestão Pública precisa de profunda reforma

Buracos atrás de buracos mostram o estado caótico em que vegeta a gestão pública. Agora surge a notícia Hospitais fecham 2011 com buraco de pelo menos 383 milhões.

O que dizer de serviços públicos que demonstram, pela sua actuação, não terem o mínimo respeito pelo dinheiro dos impostos dos portugueses? Ao gerirem o seu orçamento sem respeito, sem rigor, sem disciplina, sem dignidade, como esperam depois encerrar as contas honestamente? Porque não existe um sistema eficaz de controlo, inspecção e sancionamento dos resultados da gestão? Qual tem sido o papel da Justiça perante estes desmandos?

Surge a grande dúvida, talvez certeza, do mau critério da nomeação dos gestores. Qual o seu laço de cumplicidade ou compadrio com o responsável da tutela que os nomeou? Em que critério se fundamentou quem os nomeou? Foram escolhidos por concurso público, para seleccionar os portugueses mais idóneos e capazes?

Com estas decisões mal preparadas não se estranha que o País esteja afundado nesta crise que nos esmaga. Há que reformar profundamente o sistema de gestão pública, com a máxima urgência.

Imagem de arquivo

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

E… para os que ainda têm dúvidas

que a nova ordem mundial é real e que a elite vai avançando com tirania gradual

Segundo Alex Jones os criminosos querem substituir a variável humana nos exércitos para que matar seja ainda mais simples e sem qualquer tipo de ética. . .  ou seja os exércitos serão na sua maioria constituídos por robôs.

Assim os veículos aéreos não tripulados estão previstos começar a atuar na europa quase no imediato.






Exatamente, como foi, previsto há cerca de 66 anos...

O que Hitler fez...

É uma questão de História lembrar que, quando o Supremo Comandante das Forças aliadas (Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, etc.),
General Dwight D. Eisenhower encontrou as vítimas dos campos de concentração, ordenou que fosse feito o maior número possível de fotos, e fez com que os alemães das cidades vizinhas fossem guiados até aqueles campos e até mesmo enterrassem os mortos
E o motivo, ele assim explanou: “Que se tenha o máximo de documentação - façam filmes - gravem testemunhos - porque, em algum momento ao longo da história, algum idiota se vai erguer e dirá que isto nunca aconteceu”.
"Aquele que se esquece do passado está fadado a repeti-lo!"
'Tudo o que é necessário para o triunfo do mal, é que os homens de bem nada façam'. (Edmund Burke)
Os "SEM LUZ" querem que se repita essas cenas...
Relembrando: Há poucos dias, o Reino Unido removeu o Holocausto dos seus currículos escolares porque "ofendia" a população muçulmana, que afirma que o Holocausto nunca aconteceu...
Este é um presságio assustador sobre o medo que está a atingir o mundo, e o quão facilmente cada país se está a deixar levar.
Estamos há mais de 66 anos do fim da Segunda Guerra Mundial.
Muitos SERES HUMANOS que foram assassinados, massacrados, violados, queimados, mortos à fome e humilhados, enquanto a Alemanha e a Rússia olhavam para outras direções...
Agora, mais do que nunca, com o que passará brevemente no Irão, entre outros, os “senhores” do poder tentam sustentar que o “Holocausto é um mito”, torna-se imperativo fazer com que o mundo jamais esqueça.

O CLUB BILDERBERG ESTÁ EM AÇÃO !
 
VÊ AS FOTOS ;(

Talvez possas estar a pensar que são imagens fortes demais…
Mas elas são reais e a verdade nunca deve ser escondida, e os inocentes... jamais esquecidos!

Isto que vais ver foi apenas um pouco do que está para acontecer.

O CLUB BILDERBERG VAI FAZER PIOR  vai aniquilar 7 biliões de SERES HUMANOS

























Pelos planos dos "SEM LUZ", mais destas ocorrências deverão efetuar-se num futuro próximo.


REPARA :


ISTO ERA VERDADEIRAMENTE O CAMPO DE
Auschwitz-Birkenau




Hoje está assim !!!    


Parece um local turístico ;'(


Os “senhores” do Planeta assim o querem !!!

E… as visitas são guiadas para...

 NÃO VERES MESMO NADA !!! ;’(


Mas... a "rainha" vai núa




ACORDEM SERES HUMANOS !!!


VÊ e SENTE:





http://jose-pires-um-ser-livre.blogspot.pt/2012/09/guerra-mundial-financeira.html